Menu
Portal Ciencia.ao

Portal Ciencia.ao

Estágios de Curta Duração para Profissionais de Saúde dos PALOP e Timor-Leste

A Fundação Calouste Gulbenkian comunica que está aberto até 17 de Março o concurso para atribuição de bolsas para estágios de curta duração em Portugal (entre 2 e 3 meses), destinadas a profissionais de saúde dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP) (Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique e S. Tomé e Príncipe) e de Timor-Leste nas áreas clínicas de anestesiologia, cirurgia, pediatria, ginecologia e obstetrícia.

 

Elegibilidade 

Este concurso destina-se exclusivamente a profissionais que prestam directamente cuidados de saúde e que trabalhem em contexto hospitalar, naturais dos PALOP ou Timor--Leste e que estejam actualmente a trabalhar num desses países (ainda que não seja o seu país de origem, ou mesmo que tenham estudado no exterior).

 

Candidaturas

  • Os candidatos devem preencher o formulário disponível no site e submetê-lo online, acompanhado dos documentos referidos no regulamento.
  • Os profissionais de saúde interessados devem ler atentamente o regulamento e as FAQ’s antes de dar início à candidatura.
  • As candidaturas a este concurso são feitas exclusivamente online.

 

Despesas

Serão apoiados em até 20 estágios, para um período mínimo de dois meses e máximo de três meses. A Fundação Calouste Gulbenkian assegura as despesas da viagem até Portugal, seguro, e uma bolsa mensal no valor de 1000 euros.

 

Mais informações

https://gulbenkian.pt/grant/estagios-curta-duracao

 

1ª Edição do “Fórum Futuro”: O Impacto da Ciência, Tecnologia e Inovação no Crescimento e na Diversificação da Economia

  • Publicado em Eventos

 

O Ministério da Ciência e Tecnologia (MINCT) realiza de 31 de Janeiro a 1 de Fevereiro de 2017, no anfiteatro da sede do Banco Económico, sito na avenida do 1º Congresso do MPLA, nº 27, em Luanda, a 1ª edição do “Fórum Futuro” com o lema “Impacto da Ciência, Tecnologia e Inovação no Crescimento e na Diversificação da Economia”. 

O Fórum tem como objectivo sensibilizar os decisores políticos e parceiros sociais sobre a importância da inserção da Ciência, Tecnologia e Inovação (CTI) no desenvolvimento sustentável do país. Sob a forma de palestras, o Fórum contará com a presença de prelectores nacionais e internacionais, nomeadamente ministros e representantes de empresas do sector da CTI. Estará dividido em sessões de debate onde serão partilhadas experiências de outros países em relação ao papel da CTI no seu desenvolvimento e também sobre os mecanismos de financiamento da investigação científica e desenvolvimento. 

 

Público-alvo

O “Fórum Futuro” destina-se a Deputados, Membros do Governo Central e Governadores Provinciais, Reitores, Directores Gerais das Instituições de Ensino Superior e das Instituições de Investigação Científica e Desenvolvimento, Docentes, Investigadores, Políticos, Empresários e Sociedade Civil. 

A participação ao evento carece de convite, endereçado pela organização.

 

Mais informação

- O programa do evento será oportunamente divulgado.

- Contacte os seguintes terminais: 923838387 - Sebastião Mateus, 924440694 - António de Alcochete.

 

Mesentério: o Novo Órgão do Corpo Humano

  • Publicado em Saúde

 

 

O mesentério, até pouco tempo, era conhecido como uma membrana intra-abdominal do sistema digestivo. Os primeiros estudos do mesentério remontam ao século XVI, com uma publicação de Leonardo Da Vinci. Porém, um estudo mais recente publicado na revista britânica de medicina The Lancet Gastroenterology & Hepatology, desenvolvido por um grupo de investigadores, coordenados por J. Calvin Coffey, cientista da Universidade Hospital de Limerik, Irlanda, acredita agora que mesentério é, na verdade, um órgão único e contínuo.

 

J. Calvin Coffey, estuda, há anos, o mesentério e para ele "A descrição anatómica que foi feita nos últimos 100 anos de anatomia estava incorrecta. Este órgão está longe de ser fragmentado e complexo. É simplesmente uma estrutura contínua".

 

Embora este estudo não indique a ocorrência de uma alteração no funcionamento do aparelho digestivo, a confirmação de que esta estrutura é efectivamente um órgão "novo" abre caminho para novos estudos que possam levar ao tratamento de doenças abdominais e digestivas, com menos cirurgias invasivas e menos complicações na recuperação. 

 

É necessário entender melhor a função do novo órgão. "Esse é o próximo passo. Se entendemos sua função, podemos identificar as anomalias, e estabelecer quando há uma doença, ou seja, quando o órgão passe a funcionar de modo anormal", afirma Coffey, em nota enviada à imprensa.

 

Desde 2012 que J. Calvin Coffey e a sua equipa realizam exames microscópicos detalhados ao mesentério. Os cientistas foram reunindo informação que permitiu, agora, reclassificá-lo, tornando-o oficialmente, no "novo" órgão do corpo humano.

 

 

Artigo original:

http://www.jn.pt/mundo/interior/o-corpo-humano-tem-mais-um-orgao-do-que-se-pensava-5586536.html 

 

Mais informações 

http://www.bbc.com/portuguese/geral-38505488

Assinar este feed RSS

Links Úteis

Links Externos

Contactos

Redes Sociais