Menu

AULP realiza Acção de Formação sobre o Programa de Mobilidade AULP e atribuição de bolsas PROCULTURA - 9 de Novembro 2020

A Associação das Universidades de Língua Portuguesa (AULP) realizará no dia 09 de Novembro de 2020, uma acção de formação online, via zoom, sobre o Programa Mobilidade AULP e a atribuição de bolsas PROCULTURA.

Esta sessão estará aberta a todos os interessados como estudantes, professores, administrativos, funcionários de ministérios ou organizações, que deverão proceder obrigatoriamente à inscrição através do formulário online: https://forms.gle/5Mscv6yiVPq94ZC19 . Após inscrição, receberão via email o link de acesso.

A sessão irá decorrer nos seguintes horários:

  • Angola - 11 am
  • Cabo Verde - 9 am
  • Guiné-Bissau, Portugal, São Tomé e Príncipe - 10 am
  • Moçambique - 12 pm
  • Timor Leste - 19 pm

Serão abordados os seguintes temas:

  • informações relevantes sobre o Programa Mobilidade AULP;
  • quais os apoios disponíveis durante o período de mobilidade;
  • bolsas de viagem OEI-AULP;
  • bolsas PROCULTURA;
  • quem é elegível e instituições parceiras;
  • como fazer o registo na plataforma;
  • como preencher o formulário de candidatura;
  • sessão de esclarecimentos durante toda a sessão através do chat.

 

Para mais informação, envie um e-mail para Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

 

Ler mais ...

Assista hoje o Webinar do Air Centre sobre o Projecto Luanda Waterfront - Networking com a Prof.ª Dra. Filomena Vaz Velho

Assista hoje, dia 23 de Outubro de 2020, às 13h00 UTC, a entrevista com a Prof. Dra. Filomena Vaz Velho, do Instituto Nacional de Pesca e Investigação Marinha (INIPM), Angola. A Prof. Dra. Filomena Vaz Velho apresentará o Projecto Luanda WaterFront - Avaliação Ecológica da Baía de Luanda: Uma abordagem baseada na orla para reduzir os riscos ambientais e aumentar a qualidade de vida. O moderador será Marcelo Rollnic, Professor da Universidade Federal do Pará, Brasil.

Luanda Waterfront é um projecto de investigação científica e desenvolvimento tecnológico que integra instituições angolanas e portuguesas, nomeadamente, o Instituto Nacional de Investigação Pesqueira e Marinha (INIPM), a Faculdade de Ciências da Universidade Agostinho Neto (FC-UAN), a Universidade do Algarve (UALg) e o Centro de Ciências do Mar (CCMAR), que é o coordenador. O projecto é financiado pela Fundação Portuguesa para a Ciência e Tecnologia (FCT) e pela Aga Khan Development Network (AKDN). O objectivo é avaliar o estado da Baía de Luanda (Angola), bem como aumentar o conhecimento científico sobre os riscos ambientais, nomeadamente Nocivas Algas Blooms (HABs), Ciguatera Fish Poisoning (CFP), lixo marinho e outras ameaças globais das alterações climáticas esse impacto no bem-estar das comunidades locais e na saúde do ecossistema. O projecto prevê ainda o estabelecimento de mecanismos de co-gestão da Baía de Luanda, envolvendo as partes interessadas e as comunidades locais, com o objectivo de recomendar estratégias de mitigação ambiental para melhorar a qualidade da água e promover o desenvolvimento sustentável dos diferentes serviços deste ecossistema. A investigadora principal de Portugal é Alexandra Teodósio e, de Angola, Filomena Vaz Velho.

Esta sessão será conduzida em português com tradução simultânea para o inglês usando o recurso de interpretação do idioma nativo da Zoom.

 

Aceda ao link: https://us02web.zoom.us/webinar/register/WN_5LUikA6vT4ukK6pUxl1VAg?utm_source=AIR+Centre&utm_campaign=b1d3dd1c45-EMAIL_CAMPAIGN_2020_04_21_10_26_COPY_01&utm_medium=email&utm_term=0_f6e6916653-b1d3dd1c45-176857057

Ler mais ...

Comissão Europeia realiza Webinar sobre o European Green Deal Call, e lança Financiamento de € 1 bilhão de Euros - 26 de Outubro 2020

A Comissão Europeia informa que estão abertas até o dia 26 de Janeiro de 2021, as candidaturas para o financiamento de € 1 bilhão de euros para projectos de investigação e inovação que respondam à crise climática e ajudem a proteger os ecossistemas e a biodiversidade da Europa. O European Green Deal Call, financiado pelo Horizonte 2020, estimulará a recuperação da crise do coronavírus na Europa, transformando os desafios verdes em oportunidades de inovação.

Esta chamada para a European Green Deal difere em aspectos importantes das chamadas anteriores do Horizonte 2020. Dada a urgência dos desafios que se tem enfrentado, a chamada visa alcançar resultados claros e perceptíveis a curto e médio prazo, mas com uma perspectiva de mudança a longo prazo. Há menos acções, mas mais direccionadas, maiores e visíveis, com foco na rápida escalabilidade, disseminação e aceitação.

Espera-se que os projectos financiados no âmbito desta chamada entreguem resultados com benefícios tangíveis em dez áreas: Oito (8) áreas temáticas que reflictam os principais fluxos de trabalho do European Green Deal, nomeadamente:

  1. Aumento da ambição climática;
  2. Energia limpa, acessível e segura;
  3. Indústria para uma economia limpa e circular;
  4. Edifícios eficientes em termos de energia e recursos;
  5. Mobilidade sustentável e inteligente;
  6. Da fazenda à mesa;
  7. Biodiversidade e ecossistemas;
  8. Ambientes livres de poluição zero e tóxicos. 

E duas (2) áreas horizontais - fortalecer o conhecimento e capacitar os cidadãos, que oferecem uma perspectiva de longo prazo para alcançar as transformações estabelecidas no European Green Deal.

O investimento de mil milhões de euros vai continuar a construir os sistemas de conhecimento e as infra-estruturas da Europa. A chamada inclui oportunidades de cooperação internacional para atender às necessidades das nações menos desenvolvidas, particularmente em África, no contexto do Acordo de Paris, bem como dos Objectivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Para mais informação sobre o European Green Deal Call, inscreva-se até o dia 26 de Outubro de 2020 e participe no Webinar inscrevendo-se no link: https://eutoau.blumm.it/event/ar/1/evento  ou clique Aqui para efectuar a sua candidatura.

 

Ler mais ...

Projectos que Beneficiarão de Financiamento no SASSCAL 2.0 aprovados na 10ª Reunião Extraordinária do Conselho de Administração do SASSCAL

O Conselho de Administração do Centro da África Austral para Ciência e Serviços para Adaptação às Alterações Climáticas e Gestão Sustentável dos Solos, com a sigla inglesa SASSCAL, aprovou hoje (8.10.2020) na sua 10ª Reunião Extraordinária realizada online, 11 dos 81 projectos de investigação científica e desenvolvimento, considerados elegíveis depois da primeira avaliação documental dos projectos submetidos para financiamento no II Edital do SASSCAL.

Angola submeteu 9 projectos para o referido Edital, África do Sul (20), Alemanha (17), Botswana (11), Namíbia (18) e Zâmbia (6), que mereceram a avaliação de uma Comissão Internacional constituída por 37 Experts de reconhecido mérito. Angola, para além destes 9 projectos submetidos sob coordenação de investigadores científicos angolanos, integra igualmente propostas de projectos sob coordenação científica da Alemanha, África do Sul, e Botswana.

Dos 11 projectos de investigação científica e desenvolvimento aprovados para financiamento num período de três anos e inseridos no âmbito da II fase do SASSCAL (2020-2024), 5 são integrados por investigadores científicos angolanos, estando um dos referidos projectos (área de Segurança Alimentar) sob coordenação da Faculdade de Ciências Agrárias (FCA) da Universidade José Eduardo dos Santos (UJES), com sede no Huambo. 

Através dos 5 projectos acima mencionados e enquadrados nas áreas de Segurança Alimentar (1), Segurança da Água (2), Serviços Climáticos e Produtos (1) e Segurança das Florestas e áreas Madeireiras (1), Angola beneficiará com o montante de seiscentos e sessenta e cinco mil Euros (E 665.000,00) e os investigadores científicos angolanos que integram estes projectos e suas instituições, terão a oportunidade de através da iniciativa SASSCAL, participar em equipas de investigação científica conjuntas de âmbito regional e internacional de reconhecido mérito e que se dedicam com temáticas inter e transdisciplinares, relacionadas com os grandes desafios globais.

Brevemente, serão anunciados nas diferentes plataformas incluindo a do SASSCAL (www.sasscal.org) e do Ministério do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação (www.ciencia.ao), informações adicionais e de interesse para os candidatos que submeteram os seus projectos no Edital referente ao financiamento da II fase do SASSCAL, estando agendado o mês de Maio de 2021 para o arranque dos projectos aprovados. 

O SASSCAL é uma iniciativa no âmbito do reforço do ambiente de investigação científica na região Austral de África, olhando para os grandes desafios globais e nele integram Angola, África do Sul, Alemanha, Botswana, Namíbia e Zâmbia. Em Angola esta iniciativa é coordenada pelo Ministério do Ensino Superior, Ciência Tecnologia e Inovação.

 

MINISTÉRIO DO ENSINO SUPERIOR, CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO, em Luanda, 8 de  Outubro de 2020.

Ler mais ...

Estratégias de Retoma das Actividades Lectivas em debate no Conselho Nacional do Ensino Superior

A Reunião Extraordinária do Conselho Nacional do Ensino Superior realizou-se no pretérito dia 14 de Setembro de 2020, às 09:00 nas instalações do Instituto Superior de Tecnologias de Informação e Comunicação (ISUTIC), sito no Bairro dos CTTs, em Luanda, sob a presidência da Ministra do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação (MESCTI), Profª. Dra. Maria do Rosário Bragança, que esteve ladeada pelo Secretário de Estado para o Ensino Superior, Prof. Doutor Eugénio Alves da Silva e o Secretário de Estado para a Ciência, Tecnologia e Inovação, Prof. Doutor Domingos da Silva Neto.

O Conselho Nacional do Ensino Superior (CNES) é um dos órgãos de consulta do Titular do MESCTI, para análise das principais questões relativas ao desenvolvimento do Ensino Superior.

A Reunião Extraordinária do Conselho Nacional do Ensino Superior teve como objectivo debater sobre Estratégias de Retoma das Actividades Lectivas no Subsistema de Ensino Superior, em conformidade com o disposto no artigo 16º do Decreto Presidencial n.º 229/20, de 8 de Setembro, que actualiza as medidas excepcionais e temporárias a vigorar durante a situação de calamidade pública declarada por força da pandemia COVID-19 e realizou-se sob consideração da seguinte agenda de trabalho:

  1. Intervenção de Abertura;
  2. Modelos de Calendário Académico - Resultados do Inquérito;
  3. Ajustamento do calendário académico;
  4. Organização pedagógica do ano académico;
  5. Intervenções da AEUPA, UEESA, SINPES, AIESPA E CRUANG;
  6. Debate;
  7. Conclusões;

Ao proferir o discurso de abertura, a Ministra do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação realçou que no contexto da pandemia, o que se pretende é responder à seguinte questão: “Quão prontos e capazes estão os gestores, os docentes e discentes para se adaptarem a diferentes abordagens administrativas e de aprendizagem?”

Neste quesito, a Ministra acentuou  a necessidade de ter acções seguras antes de reabrir o ano académico, consubstanciadas na criação de protocolos claros e fáceis de entender sobre medidas de biossegurança e de distanciamento físico, incluindo a limitação de actividades que exijam concentração de pessoas, aulas em turnos para reduzir o tamanho das turmas e aproveitamento de espaços amplos para a actividade lectiva.

No que tange a acções seguras para o processo de reabertura, a Titular recomendou aos  gestores o fortalecimento dos mecanismos de comunicação e de coordenação que promovam o diálogo local e o envolvimento com as comunidades onde se inserem, e incentivou-os a criarem condições de  acesso à água potável adequada,  locais de lavagem das mãos,  a disponibilizarem material de higiene e limpeza, com grande atenção ao uso das casas de banho e treinar funcionários administrativos e docentes na implementação das medidas de distanciamento físico.

Finalmente, a Ministra, exortou à mudança de comportamento para aumentar a intensidade e a frequência das actividades de limpeza e desinfecção e melhorar as práticas de gestão de resíduos, incentivar o uso de desinfectante para as mãos e o uso adequado de máscaras, devendo as informações sobre higiene estarem amplamente disponíveis e acessíveis à todos.

Em relação ao segundo ponto da agenda de trabalho, sobre a decisão de agendamento das actividades lectivas para 2020, o Prof. Doutor Emanuel Catumbela informou que o processo foi precedido da aplicação de um inquérito, onde participaram aproximadamente 90 gestores de IES, no qual se apresentaram dois modelos de Calendário Académico (modelo A e modelo B), nomeadamente:

Modelo A prevê-se o seguinte:

  • Para 2020: Início: 05 de Outubro de 2020 - Término: 29 de Maio de 2021
  • Para 2021: Início: 05 de Julho 2021 - Término: 26 de Fevereiro de 2022
  • Para 2022: Início: 04 de Abril 2022 - Término: 23 de Dezembro de 2022
  • Para 2023: Início: 06 de Março 2023 - Término: 23 de Dezembro de 2023

Para o Modelo B prevê-se o seguinte:

  • Para 2020: Início: 05 de Outubro de 2020 - Término: 24 de Julho de 2020
  • Para 2021/2022: Início: 06 de Setembro de 2021 - Término: 02 de Julho de 2022.

O Modelo B foi o mais recomendado pelos Conselheiros, com 61 % de votos a favor, o que não se consubstancia numa decisão deliberativa. Esta decisão é de inteira responsabilidade do Titular do Poder Executivo.

Considerando o actual contexto que as nações vivem, em particular o de Angola, o Secretário de Estado para o Ensino Superior, Prof. Doutor Eugénio Silva, exortou os gestores das IES a considerarem o papel fundamental de programas com recurso às tecnologias educativas adequadas ao ensino semi-presencial, ao sistema de apoio ao estudante em regime semi-presencial e a currículos de cursos adaptados ao ensino semi-presencial com indicação dos conteúdos a ministrar a distância.

Em síntese, da abordagem, análise e discussão dos pontos da agenda foram extraídas as seguintes Conclusões e Recomendações:

  • Os participantes da Reunião Extraordinária do CNES reafirmam a sua aprovação e apoio à decisão do reinício da actividade lectiva gradual em todo o país e sobretudo no Subsistema de Ensino Superior;
  • Reafirmaram, de igual modo, que a retoma da actividade lectiva gradual deve ter como condição indispensável a observância estrita das medidas de prevenção e combate à COVID-19, quer ao nível individual, quer ao nível das infraestruturas escolares;
  • Que haja a massificação de informações e comunicações de saúde pública em vários formatos e acessíveis à população académica, inclusive para pessoas com deficiência auditiva ou visual;
  • Que as IES tenham capacidade de reajustar os seus programas e metodologias de ensino-aprendizagem, a fim de tirarem-se vantagens da modalidade de ensino semi-presencial com docentes encarregues de orientar, supervisionar e avaliar a aprendizagem dos estudantes, fomentando a cultura do ensino a distância;
  • A partilha de informações claras entre as IES sobre a COVID-19 e planos de contigência, conducentes à promoção de estratégias comuns de autocuidado, não apenas para os estudantes e suas famílias, mas também para os docentes e outros funcionários das Instituições.

Participaram na reunião, Directores Nacionais do MESCTI, Reitores das Universidades Públicas e Privadas, Presidente do Conselho de Reitores das Universidades de Angola (CRUANG), Presidente da Associação das Instituições de Ensino Superior Privadas de Angola (AIESPA), representante do Sindicato Nacional dos Professores do Ensino Superior (SINPES), Vice-Presidente da União dos Estudantes do Ensino Superior de Angola (UEESA), Presidente da Associação dos Estudantes das Universidades Privadas de Angola (AEUPA), perfazendo, aproximadamente, 45 participantes de forma presencial e 51 por intermédio da plataforma ZOOM.

 Veja aqui alguns momentos do CNES: https://youtu.be/iJwvc-PCpcs

 

MINISTÉRIO DO ENSINO SUPERIOR, CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO, em Luanda, aos 22 de Setembro de 2020.

Ler mais ...

Oportunidade de Cooperação Científica e Tecnológica

 

O Fundo Nacional de Investigação Científica da África do Sul (NFR) informa que o Belmont Forum tem o prazer de anunciar o lançamento de uma chamada para Rede de Investigação Colaborativa (CRA) sobre o tema: Investigação Transdisciplinar: Caminhos para a Sustentabilidade.

O objectivo desta CRA é fornecer uma base científica para atingir as metas de sustentabilidade. A CRA apoiará dentre 1-2 anos de actividades com foco em abordagens qualitativas e quantitativas, integradas para desenvolver caminhos de transformação, baseados no sistema terrestre para o desenvolvimento sustentável, criando uma rede on-line (banco de dados) para o registo dos dados pessoais e profissionais dos cientistas interessados em colaborar com colegas Taiwaneses em relação aos caminhos para oportunidades de financiamentos de projectos científicos Pathways CRA.

Os candidatos inscritos receberão um link para a planilha de todas as respostas, o que indica que compartilharão suas informações dentro da rede.

 

Para mais informação, consulte: https://www.belmontforum.org/cras/#pathways2020

Ler mais ...
Assinar este feed RSS

Links Úteis

Links Externos

Contactos

Redes Sociais