Menu
Portal Ciencia.ao

Portal Ciencia.ao

Concurso de Acesso MESCTI 2021 - Listas Preliminares

INFORMAÇÃO

No âmbito da abertura do Concurso Público de Acesso do Ministério do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação (MESCTI), autorizado sobre o despacho n.º 113 de 12 de Julho de 2021, por Sua Excelência Ministra do Ensino Superior, Ciência Tecnologia e Inovação, Maria do Rosário Bragança, o Corpo de Júri do Concurso informa que estão disponíveis, em anexo, as listas provisórias dos candidatos selecionados e excluídos ao concurso por falta de requisitos gerais de admissão.

Para mais informação, por favor aceda às listas nos links disponíveis.

CORPO DE JÚRI DO CONCURSO DE ACESSO DO MESCTI-2021, em Luanda, 02 de Agosto de 2021.

Anúncio de Oportunidade: Programa UNI.AO - Candidaturas até 13 de Agosto de 2021

ANÚNCIO DE OPORTUNIDADE

ESTUDO DIAGNÓSTICO SOBRE A INCLUSÃO E ACESSO À FORMAÇÃO PÓS-GRADUADA MAIS SENSÍVEL AO GÉNERO E AOS GRUPOS VULNERÁVEIS

O Programa de Apoio ao Ensino Superior- UNI.AO é um programa de cooperação desenvolvido entre a União Europeia e a República de Angola visando apoiar o subsistema do ensino superior angolano. O programa tem uma duração de 5 anos (2019 – 2024) e é implementado em regime de cooperação delegada pela agência técnica Expertise France. O objectivo geral do programa UNI.AO é aumentar a diversificação económica e apoiar a criação de empregos de quadros altamente qualificados em sectores prioritários. Um dos objectivos específicos do programa é aumentar a igualdade no acesso à formação pós-graduada e progressão na carreira docente de mulheres e grupos vulneráveis.

O objectivo geral do estudo visa compreender os freios e obstáculos internos e externos, para uma melhor inclusão social dos grupos vulneráveis ao nível da pós-graduação e a progressão na carreira docente, dos mesmos. Esta análise permitirá a sistematização do conhecimento sobre as capacidades administrativas, financeiras e infraestruturais mobilizadas para promover a melhor inclusão da igualdade de género e das categorias vulneráveis no acesso a instituições de ensino superior nas pós-graduações.

Os grupos-alvos do estudo, descritos como grupos “vulneráveis” incluem as mulheres, pessoas com deficiências, os estudantes das regiões rurais com menos recursos sócios económicos, e estudantes de regiões e/ou municípios sem oferta formativa pós-graduada e que se deslocam e/ou movimentam para as cidades buscando uma formação pós-graduada, não estabelecendo residência no lugar escolhido ou estabelecendo residência nesses locais.

Os objectivos específicos do estudo:

  • Definir e caracterizar os grupos-alvo do estudo para o acesso à pós-graduação com dados objectivos;
  • Identificar e avaliar as instalações e as práticas das instituições de ensino superior para a promoção da inclusão e do acesso de mulheres e de grupos vulneráveis à formação pós-graduada;
  • Identificar e avaliar os obstáculos e impedimentos socioculturais, logísticos, económicos e infraestruturais, para o acesso à pós-graduação das populações vulneráveis, a progressão da carreira docente e comparar a situação em Angola com a situação de países vizinhos como Moçambique e África do Sul;
  • Recolher informações sobre as formações pós-graduadas mais frequentadas por mulheres e grupos vulneráveis em Angola.

Resultados esperados:

  • Estudo diagnóstico sobre os obstáculos e impedimentos existente na inclusão e acesso à formação pós-graduada sensível ao género e os grupos vulneráveis e à progressão da carreira docente dos mesmos;
  • Elaboração de um plano de acção contendo recomendações e propostas de medidas de mitigação dos factores que estão a prejudicar a inclusão e igualdade de género e o acesso dos grupos vulneráveis à formação pós-graduada e à progressão na carreira.

Experiência e competências requeridas do consultor ou da equipa (máximo 2 pessoas)

  • Formação académica e experiência profissional em psicologia, antropologia, ciências políticas, sociologia, ciências da educação e pedagogia, serviços sociais;
  • Excelente conhecimento da situação actual das mulheres e/ou dos grupos vulneráveis em Angola;
  • Elevado conhecimento da situação política e social do país;
  • Conhecimento do sector do ensino superior e pós-graduação;
  • Ter uma boa rede de contactos com as organizações e associações ligadas à mulher e/ou a grupos vulneráveis;
  • Experiência em países semelhantes em que haja uma exclusão acentuada de mulheres e/ou grupos vulneráveis;
  • Experiência prévia em concepção e realização de diagnósticos técnico-social sobre temas semelhantes;
  • Excelentes capacidades de realizar pesquisas qualitativas, analisar dados qualitativos, síntese e redação.

Duração: 60 dias úteis de trabalho (3 meses) - Setembro até Novembro de 2021

Local: Luanda com deslocações às províncias.

Formulação de candidaturas

Um contrato de prestação de serviços é proposto na base dos Termos de Referência (TdR) através do qual o ou a perito/a será contratado. As deslocações e ajudas de custo devem ser incluídas na proposta financeira do consultor. Um adiantamento máximo de 20% pode ser solicitado.  O saldo é pago ao fim da prestação.

O valor máximo disponível para esta prestação de serviço é de 16 000 euros (taxas e impostos incluídos e a cargo do candidato).

Os candidatos deverão indicar a referência UNI.AO ESTUDO INCLUSÃO no assunto do correio electrónico de candidatura. As propostas devem ser submetidas por e-mail a Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.  até as 18h do dia 13/08/2021 e devem incluir:

  • Apresentação do perfil e CV da(s) perita(s) ou do(s) perito(s)
  • Descritivo sobre a(s) perita(s) ou o(s) perito(s) e o seu portfólio de realização de estudos diagnósticos similares ou descritivo dos estudos já realizados (com declarações comprovativas)
  • Uma nota técnica que descreve a boa compreensão dos TdR com uma proposta de metodologia de trabalho (recolha e análise de dados) e um cronograma das actividades
  • Uma proposta financeira que inclui o número de dias de trabalho do/a perito/a(s) nas diferentes fases da missão
  • Um comprovativo do registo nacional das empresas ou a capacidade de emitir facturas.

Os candidatos que não respeitam as condições acima serão excluídos do processo.

Para mais informações incluído os Termos de Referencia completos, consultar o site https://www.ciencia.ao/oportunidades e as páginas Facebook e LinkedIn do programa UNI.AO: https://www.facebook/programauniao; https://www.linkedin.com/company/uni-ao/

Baixe aqui o Termos de Referência.

MESCTI realiza o Encontro Nacional sobre o Ensino da Engenharia em Angola nos dias 13 e 14 de Julho de 2021

  • Publicado em Eventos

 

NOTA CONCEPTUAL

1. CONTEXTO E JUSTIFICAÇÃO

A educação é crucial para o alcance dos Objectivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) e para a celeridade com que os mesmos se desenvolvem.  De um modo ou de outro, todos os 17 ODS envolvem a engenharia, que é fundamental para a criação de condições de melhoria da qualidade de vida dos países e das regiões em todo o mundo.

As soluções baseadas em engenharia são essenciais para mitigar a deterioração ambiental, as alterações climáticas e as catástrofes naturais, para a melhoria do abastecimento de água, da segurança alimentar, da industrialização, da produtividade, bem como para superar os obstáculos que dificultam o acesso à saúde e ao bem-estar.

Num recente relatório da UNESCO intitulado “Engineering for Sustainable Development: Delivering on the Sustainable Development Goals”, chama-se à atenção para a urgente necessidade de melhoria da qualidade da formação dos engenheiros, com um acento particular para os países africanos.

Neste relatório, recomenda-se aos governos, aos professores de engenharia, à indústria e às instituições profissionais de engenharia que colaborem para financiar e apoiar estratégias para aumentar o número de engenheiros e dotá-los de competências profissionais de alto nível.

Os cursos de engenharia e tecnologias, pela sua especificidade e complexidade, exigem instalações, laboratórios e ferramentas apropriados e processos de ensino-aprendizagem inovadores, sendo a falta de actividade prática laboratorial e mesmo em contexto de trabalho uma lacuna frequente na formação dos engenheiros.

Em Angola, a oferta formativa de cursos de engenharia representa 17% da oferta global e 12% dos alunos matriculados no ensino superior. A formação dos engenheiros nas IES revela algumas dificuldades já identificadas, o que tem implicações negativas  na qualidade do processo de ensino-aprendizagem.

Dada a importância da engenharia para o desenvolvimento sustentável, o Ministério do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação, em colaboração com os seus principais parceiros, realiza um encontro nacional para reflectir conjuntamente sobre o ensino das engenharias e, em consequência, encontrar estratégias para a sua melhoria.

2. OBJECTIVOS

  1. Analisar as características do ensino da engenharia e da formação de engenheiros em Angola, e as necessidades deste tipo de profissionais para o desenvolvimento sustentável da sociedade angolana;
  2. Partilhar experiências sobre o ensino da engenharia para delinear soluções adequadas às diferentes realidades académicas do país;
  3. Promover a reflexão e o debate em torno do relatório da UNESCO sobre o ensino da engenharia em Angola;
  4. Identificar estratégias que contribuam para melhorar o ensino da engenharia e para ampliar as fontes de financiamento para este domínio de formação.

3. METODOLOGIA

O Encontro ocorre em dois dias com a participação de decisores políticos, gestores das Instituições de Ensino Superior (IES), professores universitários, engenheiros, e ordens profissionais do ramo, representantes da banca, empresas, organizações da sociedade civil e organizações internacionais ligadas à ciência e à educação.

Estrutura-se em sessões plenárias, organizadas sob a forma de mesas redondas e conferências, em português e inglês (com interpretação), num formato que inclui presença física e on-line dos participantes.

Questões fundamentais que se colocam à formação de Engenheiros em Angola

  • Qual é a visão estratégica do Estado Angolano sobre a formação de engenheiros para o desenvolvimento sustentável?
  • Que desafios enfrentam os engenheiros formados em Angola? (empregabilidade, aceitabilidade pelos empregadores, especialização)
  • Que dificuldades Angola enfrenta na formação de engenheiros e quais os mecanismos para os ultrapassar?
  • Que fontes de financiamento existem para a formação de engenheiros e qual é a melhor estratégia para lhes aceder?
  • Que desafios as diferentes províncias enfrentam para que a formação de engenheiros contribua para o desenvolvimento local?

4. RESULTADOS ESPERADOS

  1. Adquirida uma nova perspectiva sobre o ensino da engenharia em Angola, sua relevância para o desenvolvimento socioeconómico do país.
  2. Identificadas fontes e estratégias de financiamento para o ensino da engenharia.
  3. Apresentado e debatido o Relatório da UNESCO sobre a formação de engenheiros em África.

5. ORGANIZAÇÃO

Organização conjunta com o Ministério da Educação, Ordem dos Engenheiros de Angola e Unidade Técnica de Gestão do Plano Nacional de Formação de Quadros do Gabinete de Quadros do Presidente da República, em colaboração com a UNESCO.

 

Mais informação, faça o download da Nota Conceptual e do Programa em PDF

 

Participe na Escola de Verão da MEDCIDS - Candidaturas à 1 de Julho de 2021

O Departamento de Medicina da Comunidade, Informação e Decisão em Saúde – MEDCIDS – da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto organiza em Julho e Setembro de 2021 uma nova edição da sua Escola de Verão, propondo a estudantes e profissionais um conjunto diversificado de cursos, workshops webinars nas áreas da Medicina Geral e Familiar, Metodologia de Investigação, Ciência de Dados, Estatística Médica, Bioética e História da Medicina.

Empenhado desde a sua origem na inovação científica e pedagógica, o MEDCIDS promove, nesta Escola de Verão, a utilização de tecnologias de apoio ao ensino híbrido ou totalmente à distância, procurando aproximar pessoas e instituições geograficamente dispersas e de diferentes áreas do conhecimento.

A primeira parte deste evento de educação contínua começará no dia 2 de Julho e prolonga-se até 15 de Julho, voltando em força a 6 de Setembro (Flyer).

Para mais informação sobre os cursos, workshops e webinars aceda o link: https://escolaverao.med.up.pt/

Assinar este feed RSS

Links Úteis

Links Externos

Contactos

Redes Sociais