Menu
Portal Ciencia.ao

Portal Ciencia.ao

Angola representada pelo MESCTI na Cimeira – Innovation Africa 2022, em Lusaka – República da Zâmbia

Uma delegação angolana chefiada pela Ministra do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação, Maria do Rosário Bragança, deslocou-se à cidade de Lusaka, República da Zâmbia, para participar na Cimeira – Innovation Africa 2022, que decorrerá de 16 a 18 de Novembro do corrente ano.

Os principais projectos multilaterais de educação e ensino, o desenvolvimento de habilidades e o aumento do investimento no continente em tecnologias de informação e comunicação (TIC) para a educação terão destaque no fórum ministerial de alto nível número um de África, onde os parceiros do sector da indústria desfrutam de reuniões pré-agendadas com altos funcionários do governo de mais de 40 países.

O Presidente da República da Zâmbia, Hakainde Hichilema, fez a abertura deste magno evento, seguindo-se sessões ministeriais de perguntas e respostas, bem como reuniões individuais entre os principais provedores de soluções de educação e TIC e formuladores de políticas. 

Mais de 250 Ministros e funcionários do governo, de toda a região africana, participam neste Fórum, adoptando o Innovation Africa como o evento essencial para a troca de experiências entre homólogos do sector da educação, ensino superior, ciência, tecnologia e inovação, líderes do sector da indústria, Startups, instituições vocacionadas para a educação e tecnologia.

Fazem igualmente parte da delegação angolana os seguintes quadros séniores:

  • Aldo Sambo – Consultor da Ministra da Educação de Angola (em representação da Ministra da Educação);
  • Elisamã Cardoso – Directora do Gabinete da Ministra do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação;
  • Antónia Djamila de Lima – Directora do Gabinete de Tecnologias de Informação e Comunicação Institucional do MESCTI;
  • Jone Heitor – Consultor da Ministra do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação para a área da Inovação e Empreendedorismo de Base Tecnológica;
  • Adilson Rodrigues – Chefe de Departamento para área Jurídica do Gabinete Jurídico e Intercâmbio do MESCTI.

O Ministério do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação, em Luanda, aos 16 de Novembro de 2022.

ISCED-HUÍLA abre Edital para a 2. Edição do Curso de Mestrado em Metodologia de Educação de Infância - Candidaturas até 15 de Novembro de 2022

 

A Direcção do Instituto Superior de Ciências de Educação da Huíla torna público que, será ministrado, no Ano Académico 2022/2023, a 2. Edição do Curso de Mestrado em Metodologia de Educação de Infância, com 30 vagas, aprovado pelo Decreto Executivo n.° 92/20, de 28 de Fevereiro.

 

ESTRUTURA CURRICULAR

O Curso de Mestrado funciona em regime de ensino presencial e tem a duração de quatro (4) semestres, num total de 2400 horas de actividades curriculares, que correspondem 160 Unidades de Crédito. Os dois primeiros semestres correspondem à parte lectiva e os dois últimos à realização de um Estágio Profissional Supervisionado e de um Trabalho de Projecto. As actividades curriculares de contacto directo, serão semanais, de segunda a sexta-feira (das 16 horas às 20 horas).

 

PERFIL DO CANDIDATO AO CURSO

Requisitos

  1. Possuir o grau académico de Licenciado, devidamente atestado documentalmente, concluído com média igual ou superior a 14 valores, num dos seguintes domínios: Educação de Infância, Língua Portuguesa, Matemática, História, Geografia, Biologia, Ciências da Educação, Pedagogia, Psicologia, Música ou outro considerado relevante para o efeito pela Comissão Científica do Curso;
  2. Possuir qualificação profissional docente como Educador de Infância, obtida no Ensino Pedagógico, Secundário ou Superior;
  3. Ter no mínimo dois anos de experiência profissional docente, como Educador de Infância ou como Professor de Metodologia de Educação de Infância no Ensino Pedagógico;
  4. Ter fluência na Língua Portuguesa;
  5. Ter, no máximo, trinta e cinco (35) anos de idade;

Os requisitos do perfil de entrada referidos nas alíneas a) e b) do número anterior podem também ser satisfeitos com qualificações obtidas no estrangeiro, desde que tenham sido legalmente reconhecidos no país como equivalentes.

Os requisitos referidos na alínea c) do número anterior também podem ser satisfeitos com experiência profissional docente no estrangeiro, desde que seja devidamente comprovada.

Obs: Os candidatos devem ser funcionários públicos (Docentes) do Ensino Superior ou do Ministério da Educação.

 

DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA PARA A CANDIDATURA

MESCTI e BAD analisam os projectos em curso e avaliam novas oportunidades de cooperação.

Realizou-se hoje, 03 de Outubro de 2022, a reunião entre o Ministério do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação (MESCTI) e a Delegação do Banco Africano de Desenvolvimento, na sala de reuniões do 6º andar, do edifício sede deste Departamento Ministerial, sito no Complexo Administrativo Clássicos de Talatona, em Luanda. 

A Delegação do Banco Africano de Desenvolvimento (BAD) está a desenvolver uma missão de supervisão, no período de 03 a 14 de Outubro do corrente, no âmbito do Projecto de Desenvolvimento de Ciência e Tecnologia de Angola (PDCT), que é um projecto do Governo de Angola, em execução pelo Ministério do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação (MESCTI), financiado em 90% através de um empréstimo do Banco Africano de Desenvolvimento (DP n. °11/16, de 25 de Janeiro). O PDCT é de âmbito nacional e visa contribuir para a diversificação da economia, através da inovação científica e tecnológica. Especificamente, o PDCT envolve: i) apoio às actividades de investigação científica nos domínios prioritários para a diversificação da economia e ii) criação de um ambiente favorável à ciência, tecnologia e inovação. 
 
Na reunião de hoje, dentre as várias acções previstas, a Delegação do BAD informou que a missão em curso tem como objectivos: (i) constatar o estado e o desempenho do projeto (PDCT); (ii) resolver quaisquer desafios de implementação e desenvolver estratégias para a conclusão tempestiva das actividades pendentes, em particular, a construção do Parque de Ciência e Tecnologia de Luanda (STP) e; (iii) discutir com o Governo possíveis áreas de colaboração, alavancando o PDCT, no contexto do Plano Nacional de Desenvolvimento do País , com início previsto para 2024. 
 
A Delegação do Banco Africano de Desenvolvimento, liderada pela Sra. Hendrina Doroba, Gerente da Divisão de Educação e Desenvolvimento de Competências, integrou também pelo Sr. Raymond Besong, Economista Chefe de Desenvolvimento, (RDGC) e pelo Sr. Túlio António Cravo, Economista Principal. 
 
Pelo MESCTI, liderou a reunião a Ministra do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação, Maria do Rosário Bragança, que se fez acompanhar do Secretário Geral do MESCTI, Sr. Ndilu Mankenda Nkula, do Coordenador do PDCT, Sr. Ricardo Queirós, bem como do Consultor da Ministra, Sr. Filipe Vicente Baião.
 
Ministério do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação, em Luanda, 03 de Outubro de 2022.

MESCTI e Programa UNI.AO realizam Capacitação em Matéria de Ensino à Distância

Arrancou de 28 a 30 de Setembro, no Hotel Monalisa, em Luanda, a primeira edição de capacitação em B-learning. Uma iniciativa do Ministério do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação (MESCTI) em parceria com o Programa UNI.AO. A formação, ministrada pela Digital Factory, visa capacitar 57 docentes e técnicos de 6 Instituições de Ensino Superior.

A cerimónia de abertura foi presidida pelo Secretário de Estado para o Ensino Superior, Prof. Dr. Eugénio Adolfo Alves da Silva e contou com a presença do Director Nacional do Ensino Superior, Dr. Emanuel Catumbela, bem como da equipa do Programa UNI.AO.

Na sua intervenção, João Júlio, Coordenador da equipa da Digital Factory, começou por agradecer pela presença de todos, afirmando que o primeiro dia tratava-se apenas do pontapé de saída e conta com a colaboração de todos os envolvidos para garantir o sucesso desta iniciativa. Já a Dra. Jeanne Vivet, Perita Técnica do Programa UNI.AO, realçou que o B-learning irá facilitar o maior acesso à formação pós-graduada por parte dos estudantes e que a iniciativa contribuirá para o processo de digitalização do ensino superior em Angola.

O Secretário de Estado saudou os formandos, augurando um bom desempenho, para que a implementação do B-learning nas IES seja uma realidade. Frisou ainda que "essa formação vai garantir a viabilização dos projectos ligados à aprendizagem e ensino, daí a sua relevância por ser uma modalidade de ensino que tem tudo para dar certo". Terminou agradecendo a iniciativa do Programa UNI.AO, sublinhando o profissionalismo da Digital Factory e desejando “um bom trabalho para que haja resultados em que podemos nos orgulhar e garantir o desenvolvimento do ensino superior”.

Saiba e veja mais em: https://www.facebook.com/programauniao/

 

Assinar este feed RSS

Links Úteis

Links Externos

Contactos

Redes Sociais