Menu

4 Habilidades Sem as Quais a Inovação Não Floresce

Operamos no mundo por meio de modelos mentais que nos permitem navegar pela vida de forma eficaz, ainda assim, em um mundo em franca transformação e ebulição, talvez não sejam os mais eficientes.

A miscigenação das gerações, das culturas, dos diferentes níveis de formação, dos idiomas, dos homens e das mulheres nas organizações, das próprias formas organizacionais que misturam modelos piramidais, matriciais e de redes exige, cada vez mais, competências comportamentais por parte das lideranças. As exigências do chefe não podem mais ser pautadas pelo argumento de que ele é uma autoridade, ou de que possui o conhecimento técnico, ou de que sabe mais do que os outros.

"O líder precisa, agora, ser o alquimista de um ambiente de trabalho calcado em confiança, em que as pessoas se sentem seguras para se expressarem, sem medo de errar. Dessa forma, as ideias surgem e são lapidadas a partir de insights e percepções compartilhados; os fluxos criativos individuais unem-se aos fluxos colectivos. De alguma maneira, é um desapego do conceito de autoria individual. Assim, quanto mais diversidade, mais rico será o resultado."

Muitas vezes surge a inovação quando desapegamos de buscar a solução apenas na nossa cabeça. Quando nós abrimos para investigar e confrontar visões diferentes na cabeça dos outros fomentando um ambiente para co-criar com eles algo realmente novo.

Ao mesmo tempo, lidar com tantas divergências acarreta, naturalmente, mais conflitos. Nesse contexto, o líder precisa conjugar abertura sobre o conteúdo (as ideias) com firmeza sobre a forma (a condução das reuniões, do processo em si). Nesse momento, o facto de ter princípios e valores claros em torno de um propósito compartilhado faz toda a diferença.

Não se trata de evitar conflitos e sim, de abrir-se para acolher o diferente, sem, necessariamente, concordar ou discordar. Trata-se de verbalizar de forma não agressiva aquilo que muitas vezes fica "não dito" e, por isso, gera desgaste emocional nas organizações. Trata-se de manejar situações ambíguas e conjugar interesses por vezes antagónicos, transmutando potenciais conflitos e confrontações em negociações cooperativas, conduzindo o grupo a alcançar soluções mais eficientes do que se obtidas individualmente.

Não é de surpreender que as metodologias de inovação, tais como Ágil e “Scrum”, recomendem pactuar um contrato de atitudes e comportamentos nas equipas, começando pela qualidade da comunicação, a simplicidade, a capacidade de dar e receber feedback, a coragem e o respeito. No mesmo sentido, as tendências mostram que no futuro as habilidades de maior destaque serão as sociais, como a capacidade de estabelecer e manter relações de confiança, empatia e inteligência emocional.

Quanto mais inovador, tecnológico e digital precisa ser o ambiente de trabalho, mais necessárias se tornam as competências comportamentais e socio-emocionais.

Enfim, de acordo com minhas observações, para que se manifestem modelos mentais capazes de aumentar a capacidade de adaptação e inovação de uma empresa, bem como de fomentar o engajamento e a inteligência colectiva, é preciso fortalecer nossas habilidades em conjugar:

  • escuta empática e profunda com fala assertiva, clara e directa;
  • coragem com vulnerabilidade;
  • abertura com foco;
  • desapego com determinação.

Dica: o segredo está na arte de “conjugar”... Fique atento, irei desenvolver estes 4 pontos e a ideia de conjugar em um futuro artigo ou vídeo!

 

Por: Thomas Brieu - Director da empresa DO IT Brasil, Palestrante e Professor da Universidade de São Paulo, Especialista em Escutatória, Storytelling ao vivo, Comunicação Ágil.

Fonte: https://www.linkedin.com/pulse/4-habilidades-sem-quais-inova%C3%A7%C3%A3o-n%C3%A3o-floresce-thomas-brieu/

Ler mais ...

9 Conselhos para o Início da Vida Académica

Se você, hoje, pudesse voltar lá para os seus primeiros dias de aulas no ensino superior, o que você diria para si? É comum que, após o término da graduação, reflictamos sobre os caminhos que percorremos no universo académico.
Hoje, entendo a importância de orientar quem está a começar um percurso que já fizemos. Por isso, como iniciei meu estágio de docência neste período, decidi escrever um texto de boas-vindas aos alunos. O texto que eu gostaria de ter recebido na minha época de caloira. Com a ideia em mente, fiz uma publicação no LinkedIn com a pergunta inicial deste texto. Muitas pessoas responderam e contribuíram bastante. Algumas das respostas estão destacadas ao longo deste artigo que é o texto que entreguei, porém com alguns trechos adaptados. As citações das pessoas só foram inseridas aqui mesmo. Vamos lá!!

 

O início da jornada no ensino superior

Primeira semana de aula no ensino superior, o começo de uma vida nova: novos compromissos, novas responsabilidades, novos professores, novos lugares, novos amigos e novos aprendizados.  Quanta novidade!
Você talvez se sinta meio deslocado neste novo ambiente, é normal nas primeiras semanas. Com o tempo você se acostumará e a universidade se tornará praticamente a sua segunda casa.

É bom receber orientações de quem já viveu o que vamos — ou queremos — viver, pois, assim, temos algumas referências do que fazer e não fazer. Por esse motivo, escrevi este texto, com sugestões dadas também por outras pessoas, para que você tenha um bom início na sua jornada no ensino superior. Leia-o sempre que necessário!

 

Conselhos para a vida académica

1. Leia hoje

Aproveite o seu tempo livre. Ele diminuirá com o passar dos semestres. Faça seu cadastro na biblioteca e pegue livros emprestados com alguma frequência.

 

2. Seja responsável

Não espere que os outros sejam responsáveis pelo que você precisa fazer. Assuma seus compromissos e seja dedicado!

 

3. Seja um aluno activo

Participe dos eventos académicos e de grupos de pesquisa. Apresente trabalhos. Aumente seu conhecimento e enriqueça seu currículo! Seja um estudante autónomo!

“Não se apegue à grade do seu curso e não feche as portas para outras áreas, pois elas podem te surpreender e a vida é bem mais do que o seu curso.” ( Dimitri Vieira)

 

4. Aprenda português

Leia. Escreva. Assista. Ouça. Leia. Escreva. Pratique. O conhecimento surge com a prática, a curiosidade e a pesquisa. Busque referências! Vá atrás e vá além da grade curricular do seu curso!

 

5.  Aproveite os benefícios das redes sociais

Elas podem ser consideradas inúteis por alguns, mas, se bem utilizadas, podem ser óptimos instrumentos para o aumento do seu aprendizado e aperfeiçoamento da escrita. Já pensou em utilizar o Facebook, o Instagram, o Twitter, o Youtube, o LinkedIn ou outra rede social para compartilhar suas ideias?

 

6. Aproveite o momento

Parece que não, mas os anos passam rápido. Aproveite este momento e cultive boas relações!

“Quem faz a faculdade é você. [… ] Por isso, vá muito além das aulas. Leia os livros das bibliografias, veja documentários, escreva artigos e posts. É isso que fará a diferença no mercado depois. Ah, e não se esqueça de fazer bons amigos que serão seus colegas por todo tempo.” ( Raul Santahelena)

 

7. Fique atento(a) ao que acontece fora da universidade

A universidade exige bastante de nós quando estamos nela. É importante vivenciar bem as experiências académicas — iniciação científica, eventos, apresentações, artigos etc. —, porém, não feche seus olhos para o que acontece fora da universidade.

Aproveite o ensino superior para conhecer pessoas de outros cursos, para aperfeiçoar suas capacidades de comunicação, criatividade, pro-actividade etc. Permita-se conhecer outras áreas e aprender com elas! Una teoria e prática! Quando não for possível praticar, observe e leia sobre a realidade do mercado de trabalho.

“Não fique preso somente à universidade, ic, pós, etc. O mercado hoje é muito diferente e muitas disciplinas não vão agregar às necessidades dele. Aproveite disciplinas em outros cursos como na administração, contabilidade, direito e computação.” (Enrico Spiropulos)

 

8. Enfrente os desafios

Algumas dificuldades surgirão no seu caminho, mas mantenha-se animado. Você será capaz de enfrentar os obstáculos e aprender com eles! “Cada passo dado ou cada etapa vivida é única. Cada dia é único. Oportunidades novas virão, novos desafios estão a caminho.” (José Taborda de Faria)

 

9. Aproveite a jornada! 

Às vezes, pode ser que a ansiedade tome conta de você e a vontade de pular etapas também. Construa e aproveite o seu caminho, dê o seu melhor, não deixe que a ansiedade e o medo atrapalhem seus planos. Se precisar de ajuda, peça e converse com outras pessoas.

“Você não vai resolver sua vida em um semestre… nem em seis anos. Não fique ansioso por encontrar seu caminho na vida, a vida é o caminho. Sei que você tem muitas questões para resolver, muitas coisas para conquistar… e tem toda a força e a inteligência para isto. Mas as questões se multiplicam e as conquistas só satisfazem por um instante.” ( Moisés de Andrade )

O facto de ser bom naquilo que você faz não significa que você precisa ser arrogante. Evite fazer comparações entre o seu desenvolvimento e o de outras pessoas, reflicta mais sobre quem você era e quem você é agora. Veja a sua própria evolução!

“[… ] cada pessoa nesse lindo planeta é um agente de transformação e que o conhecimento deve transformar as pessoas em seres humanos melhores. ( Ana Paula Diniz Arruda )”

Como disse Mário Quintana, “São os passos que fazem os caminhos”. Quais serão os seus passos? Quais serão os seus caminhos?

Seja bem-vindo! Transforme-se e seja um agente de transformação do bem por meio do conhecimento.

 

Por: Adelane Rodrigues

Consultoria Linguística | Produção de Conteúdo | Revisão Textual

 

Fonte: Linkedin

 

Ler mais ...
Assinar este feed RSS

Links Úteis

Links Externos

Contactos

Redes Sociais