Menu

Ciencia.ao - Itens filtrados por data: junho 2020

Programa UNIA.AO - Candidaturas Abertas para Consultores/Empresas até 7 de Julho

O Programa UNI.AO informa que estão abertas as candidaturas para Consultores/Empresas que realizam estudo diagnóstico sobre os sectores económicos prioritários para criação de cursos de pós-graduação, até o dia 7 de Julho de 2020.

O Programa de Apoio ao Ensino Superior- UNI.AO é um programa de cooperação desenvolvido entre a União Europeia e a República de Angola visando apoiar o ensino superior angolano. O programa tem uma duração de 5 anos (2019-2024) e é implementado em regime de cooperação delegada pela agência Expertise France.

O objectivo geral do programa UNI.AO é de aumentar a diversificação económica e apoiar a formação de quadros altamente qualificados em sectores prioritários.

O programa apoia o subsistema de ensino superior na produção de conhecimento e inovação com criação de novos cursos de pós-graduação, fundos para investigação científica e capacitações em áreas prioritárias.

O UNI.AO pretende contribuir para a formação de quadros mais especializados para enfrentar os desafios actuais e futuros do mercado de trabalho, em termos de quantidade, qualidade e distribuição territorial. Assim sendo, o programa visa assegurar a adequação entre as necessidades dos actores económicos privados e públicos, locais e regionais, à estratégia de desenvolvimento socioeconómico do país e as qualificações dos quadros saindo dos futuros cursos de pós-graduação.

O estudo contempla todas as províncias, as suas potencialidades económicas e as empresas nelas sediadas. Este estudo será cruzado com um outro diagnóstico sobre a oferta formativa actual de cursos de pós-graduação e o potencial académico das diferentes províncias (em termos de recursos humanos, materiais e financeiros). Assim sendo o estudo diagnóstico sobre os sectores económicos prioritários constitui um elemento fundamental da elaboração de uma estratégia de especialização da pós-graduação em Angola.

Formulação de candidaturas

Para este processo de candidatura, é proposto um contracto de prestação de serviços com base dos Termos de Referência (TDR) através da qual a empresa será contratada. As eventuais deslocações para as províncias, bem como as ajudas de custos dos consultores, os custos de comunicação, de organização de reuniões ou workshops serão pagos directamente pelo programa. Um adiantamento máximo de 20 % poderá ser solicitado.

Ao remeter a sua candidatura, o candidato deverá indicar a referência UNI.AO_ESTUDO 2 no assunto do correio electrónico de candidatura. As propostas devem ser submetidas por e-mail a Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. até 18h00 do dia 7 de Julho de 2020 e devem incluir os seguintes elementos:

  • Carta de confirmação e de disponibilidade imediata;
  • Se for uma empresa: Descritivo da empresa e o seu portfólio de realização de estudos diagnósticos
  • Se for um consorcio de consultores: descritivo dos estudos já realizados pela equipa;
  • Apresentação dos perfis ou dos CVS dos peritos/consultores a envolver;
  • Uma nota técnica que descreve a boa compreensão dos TdR, uma proposta de metodologia de trabalho (recolha e análise de dados) e um cronograma das actividades;
  • Uma proposta financeira que inclui o número de dias de trabalho para cada membro da equipa nas diferentes fases da missão.

 

Para mais informação faça o download dos TERMOS DE REFERÊNCIA

Ler mais ...

Edital Nº1 - BOLSAS DE ESTUDO DE DOUTORAMENTO E DE PÓS-DOUTORAMENTO

 

 

 


REPÚBLICA DE ANGOLA

MINISTÉRIO DO ENSINO SUPERIOR, CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO

PROJECTO DE DESENVOLVIMENTO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA

Projecto ID Nº: P-AO-IA0-006 / Crédito Nº: 2000130014332

 

EDITAL Nº1/MESCTI/PDCT/2020

 

BOLSAS DE ESTUDO DE DOUTORAMENTO E DE PÓS-DOUTORAMENTO

 

  1. Enquadramento

O Governo de Angola (Governo) contraiu um empréstimo junto do Banco Africano de Desenvolvimento (BAD) para custear o Projecto de Desenvolvimento de Ciência e Tecnologia (PDCT), cujo objectivo é contribuir para a diversificação da economia através da inovação científica e tecnológica. O Ministério do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação (MESCTI) é a agência executora do PDCT e torna público o presente Edital que visa a atribuição de Bolsas de Estudo de Doutoramento e de Pós-Doutoramento.

 

  1. Objectivo

Reforçar o Sistema Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação através da formação avançada de professores universitários e investigadores científicos, por meio da atribuição de Bolsas de Estudo de Doutoramento e de Pós-Doutoramento na Universidade de Lisboa (UL), Portugal, tendo em conta o equilíbrio do género (55% para mulheres).

 

  1. Características das Bolsas de Estudo

As bolsas de estudo cobrem o pagamento de um subsídio mensal, propinas, taxas escolares e dois bilhetes de avião Angola-Portugal.

3.1 Tipo

  • Doutoramento
  • Pós-Doutoramento 

3.2 Duração

  • Doutoramento: 1 ano, renovável anualmente até um máximo de 4 anos
  • Pós-Doutoramento: Até 1 ano, não renovável 

As bolsas de estudo são renovadas em função do desempenho dos estudantes.

3.3 Subsídio mensal

  • Doutoramento: 1200 USD
  • Pós-Doutoramento: 1800 USD

3.4 Áreas científicas

  • Agronegócio
  • Ambiente
  • Biotecnologia
  • Energia
  • Engenharia Mecatrónica
  • Indústria, Petróleo, Gás, Recursos Minerais
  • Nanotecnologia
  • Pescas
  • Recursos hídricos
  • Saúde
  • Telecomunicações e Tecnologias de Informação 

3.5 Orientador do Trabalho

O Orientador do Trabalho será da Universidade de Lisboa. No entanto, é desejável um Co-Orientador angolano.

 

  1. Candidaturas

4.1 Requisitos gerais

  • Ser Cidadãos nacionais, éticos, maduros, motivados, residentes em Angola;
  • Estar na Carreira Docente do Ensino Superior ou na Carreira de Investigador Científico em Instituições Públicas de Ensino Superior ou de Investigação Científica;
  • Não estar a beneficiar de uma bolsa de estudos financiada pelo Governo de Angola, no momento da candidatura;
  • Dedicar-se a Tempo Integral ao curso seleccionado;
  • Ter proficiência em Língua Portuguesa;
  • Apresentar uma Proposta de Trabalho numa das áreas indicadas neste Edital, de acordo com a formação anterior do Candidato;
  • Retornar obrigatoriamente a Angola depois da formação e continuar a trabalhar para uma instituição pública por pelo menos 5 anos.

 4.2 Requisitos – Bolsa de Pós-Doutoramento

  • Possuir Doutoramento em área científica relevante à proposta de trabalho, reconhecido pelo Instituto Nacional de Avaliação, Acreditação e Reconhecimento de Estudos do Ensino Superior (INAREES);
  • Ter idade inferior a 49 anos.

 4.3 Requisitos - Bolsa de Doutoramento

  • Possuir Mestrado em área científica relevante à proposta de trabalho, reconhecido pelo Instituto Nacional de Avaliação, Acreditação e Reconhecimento de Estudos do Ensino Superior (INAREES);
  • Ter idade inferior a 46 anos.

4.4 Processo de candidatura

  • A candidatura deverá fazer-se, em língua portuguesa, preenchendo obrigatoriamente a Ficha de Candidatura elaborada para o efeito e anexando os seguintes documentos:
    • Cópia do Bilhete de Identidade (BI);
    • Curriculum Vitae (CV) actualizado, constando os dados pessoais (contactos), a formação académica (graus, designação, duração e data de conclusão, instituições e país), a produção científica (designação, anos), a experiência profissional (designação, duração, instituições e país);
    • Documentos de suporte (em língua portuguesa ou inglesa):
      • Cópia de diplomas, certificados de habilitações, certificados de participação;
      • Cópia de artigos científicos publicados;
      • Comprovativo da Instituição onde funciona, provando assim estar nas referidas Carreiras;
      • Declaração de que não beneficia de outra bolsa de estudos financiada pelo Governo de Angola;
      • Declaração de que se dedicará a Tempo Integral, caso seja seleccionado;
      • Declaração de que retornará obrigatoriamente a Angola depois da formação e que continuará a trabalhar para uma instituição pública por pelo menos 5 anos;
      • Outros.
    • Carta de Motivação, indicando as razões da candidatura e como o seu perfil é adequado à sua Proposta de Trabalho;
    • Duas Cartas de Recomendação, assinadas pelo respectivo autor, considerando a maturidade e perfil do Candidato em relação à Proposta de Trabalho apresentada.
  • Para obter a Ficha de Candidatura e outros detalhes do presente Edital, consulte o seguinte endereço na Internet: 

https://www.ciencia.ao/images/PDCT/FichaCandidatura_PhD_PostDoc_Edital1_Final.zip

  • Cada Candidato poderá apenas submeter uma Candidatura.

4.5 Prazo e Formato

As candidaturas devem ser submetidas, até 23 de Julho de 2020, em formato digital (PDF) para o seguinte correio electrónico. Se necessário, poderá entregar um dispositivo de armazenamento de informação "pen-drive", no seguinte endereço:

 

Projecto de Desenvolvimento de Ciência e Tecnologia

Ministério do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação

Av. Ho Chi Minh, Centro Nacional de Investigação Científica (CNIC)

Maianga, Luanda, Angola

Coordenadas GPS: 8°50'20.6"S , 13°13'53.7"E

Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

 

  1. Critérios de Avaliação e Pesos

Os critérios de avaliação são:

  • Mérito do Candidato (50%)
    • Percurso académico (40%)
    • Percurso científico (25%)
    • Percurso profissional (20%)
    • Carta de Motivação (10%)
    • Cartas de Recomendação (5%)
  • Mérito da Proposta de Trabalho (50%)
    • Relevância (35%)
    • Metodologia e Cronograma (40%)
    • Exequibilidade (25%)

Notas:

  • Se necessário, os avaliadores podem entrevistar os candidatos para esclarecer a informação fornecida;
  • Para fins de desempate, o Mérito do Candidato tem precedência sobre o da Proposta de Trabalho. Se o empate persistir, os subcritérios, na sequência apresentada, serão utilizados para desempate;
  • A avaliação basear-se-á numa escala de 0,0 a 5,0;
  • A pontuação mínima para atribuição de bolsa de estudos é de 2,5. Contudo, o número de candidaturas aprovadas, face às disponíveis, irá ditar a linha de corte;
  • As candidaturas que não cumpram o presente Edital serão automaticamente rejeitadas.

 

  1. Resultados da Avaliação

Os resultados da avaliação serão divulgados no seguinte endereço na Internet:

https://www.ciencia.ao/projectos-mescti/pdct/bolsas-pos-graduacao

 

  1. Início da Bolsa de Estudos

As bolsas de estudos apenas terão início após a assinatura de um Contrato entre o PDCT e a UL, e a assinatura de um Acordo de Financiamento entre o(a) Bolseiro(a) e o PDCT.

 

  1. Informação sobre o Financiamento Concedido

Todas as comunicações e publicações científicas resultantes da bolsa de estudos concedida devem fazer referência ao apoio financeiro do PDCT/MESCTI do Governo de Angola.

 

 

 

PERGUNTAS FREQUENTES

 

1. Quem pode-se candidatar?

R: Ver secção 4.1 do Edital. Destacamos que os candidatos devem ser angolanos, maduros, motivados, residentes em Angola que estejam nas referidas carreiras. Ou seja, apenas podem-se candidatar os professores e investigadores científicos de instituições de ensino superior e de investigação científica públicas.

 

2. A entrega de cópia de artigos científicos publicados é obrigatória?

R: Não. Contudo, o mérito do candidato, incluindo o seu percurso científico, é um dos principais critérios de avaliação. 

 

3. Posso candidatar-me numa área diferente das indicadas no Edital?

R: Não. O Projecto de Desenvolvimento de Ciência e Tecnologia foca nas áreas científicas indicadas no Edital (ver secção 3.4). O Anexo 1 da Ficha de Candidatura indica detalhadamente os domínios e as áreas científicas aceites, repetidas aqui para esclarecimento. Candidaturas noutras áreas serão rejeitadas.

  1. Ciências Exactas e Naturais

1.1 Matemática

1.2 Ciências da computação e da informação

1.3 Ciências físicas

1.4 Ciências químicas

1.5 Ciências da terra e do ambiente

1.6 Ciências biológicas

1.7 Outras

 

  1. Engenharia e Tecnologia

2.1 Eng. civil

2.2 Eng. eletrotécnica

2.3 Eng. informática

2.4 Eng. mecânica

2.5 Eng. mecatrónica

2.6 Eng. química

2.7 Eng. dos materiais

2.8 Eng. médica

2.9 Eng. do ambiente

2.10 Biotecnologia ambiental

2.11 Biotecnologia industrial

2.12 Nanotecnologia

2.13 Outras

 

  1. Ciências Médicas e da Saúde

3.1 Medicina básica

3.2 Medicina clínica

3.3 Ciências da saúde

3.4 Biotecnologia médica

3.5 Outras

 

  1. Ciências Agrárias e Veterinárias

4.1 Agricultura, Floresta e Pesca

4.2 Ciência animal e dos lacticínios

4.3 Ciências veterinárias

4.4 Biotecnologia na agricultura

4.5 Outras

 

4. A proposta de trabalho deve estar de acordo com a formação anterior do candidato?

R: Sim (Ver secção 4.1 do Edital). O candidato deverá ter as bases necessárias (comprovadas) para a formação que pretende. 

 

5. Os diplomas têm que estar obrigatoriamente reconhecidos pelo INAREES?

R: Sim (Ver secção 4.2 e 4.3 do Edital). Contudo, os graus académicos obtidos em Portugal, verificáveis pela plataforma https://renates2.dgeec.mec.pt do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior de Portugal, serão analisados pela Comissão de Avaliação.

 

6. Um docente universitário ou investigador científico com o grau de Licenciatura pode candidatar-se?

R: Não. Apenas os graus indicados na secção 4.2 e 4.3 do Edital serão considerados.

 

7. É obrigatório ter Orientador antes da Candidatura?

R: Não. Contudo, é recomendável que o candidato já tenha um orientador da Universidade de Lisboa (UL) e se necessário um Co-Orientador angolano. A UL irá apoiar, posteriormente, os candidatos sem orientador. As unidades de investigação científica da UL podem ser consultadas em: https://www.ulisboa.pt/info/unidades-de-investigacao

 

8. De quem será a responsabilidade de garantir os recursos necessários para realização dos trabalhos de investigação?

R: Os recursos necessários para realização dos trabalhos de investigação serão da responsabilidade da Universidade de Lisboa (UL). As bolsas apenas cobrem o indicado na secção 3 do Edital. 

 

9. A que Instituição devem ser endereçadas as Cartas de Recomendação?

R: Uma vez que se tratam de bolsas de estudos financiadas pelo PDCT (Governo de Angola). Toda a documentação deve ser endereçada ao Projecto de Desenvolvimento de Ciência e Tecnologia (PDCT).

 

10. As Cartas de Recomendação solicitadas, são do âmbito académico ou meramente do âmbito profissional?

R: A Carta de Recomendação (CR) reflecte a opinião de alguém (ex. Ex-Orientador), que conhece o candidato, sobre as aptidões técnicas e pessoais do mesmo. Trata-se de um documento que complementa o CV. Assim, recomenda-se que a CR seja assinada por um profissional conceituado, que esteja em condições de fazer referência sobre o desempenho, a confiabilidade e a idoneidade do candidato, considerando a Proposta de Trabalho apresentada. A CR deverá incluir os contactos do Autor para que se possa verificar a sua autenticidade. 

 

11. Para que e-mail devo enviar as minhas dúvidas e candidatura?

R: O e-mail Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. deve ser utilizado para solicitação de esclarecimentos e para submissão da candidatura. Só em casos excepcionais é que a candidatura deve ser entregue em Pen-Drive.

 

12. Posso candidatar-me se ainda não tiver os Certificados de Mestrado ou de Doutoramento?

R: Não. No acto da candidatura o Candidato já deverá possuir o Certificado/Diploma requerido, devidamente reconhecido pelo INAREES.

 

13. Qual a data prevista de publicação dos resultados da avaliação e início da bolsa de estudos?

R: As bolsas de estudos apenas terão início após a assinatura de um Contrato entre o PDCT e a UL (a ser assinado depois do processo de selecção, em função dos candidatos aprovados. O Contrato deverá ainda ser aprovado pelo BAD.), e após a assinatura de um Acordo de Financiamento entre o(a) Bolseiro(a) e o PDCT. Por outro lado, considerando o panorama internacional, devido à COVID-19, há ainda muita incerteza. Contudo, é desejo do PDCT ter os referidos processos terminados no arranque do próximo ano lectivo de Portugal.

 

14. Posso enviar uma proposta de tema antes do prazo para verificar se é aceitável?

R: Não. A avaliação só iniciará após o prazo para submissão das candidaturas (23 de Julho de 2020). O tema tem que ser obrigatóriamente enquadrado nas áreas do Edital. Recomendamos que os candidatos entrem em contacto com potenciais orientadores da Universidade de Lisboa e/ou com Co-Orientadores angolanos, funcionários de instituições de ensino superior ou de investigação científica públicas. As unidades de investigação científica da UL podem ser consultadas em: https://www.ulisboa.pt/info/unidades-de-investigacao.

 

15. Posso candidatar-me para outro país ou para outra Instituição em Portugal?

R: Não. Este Edital materializa um Acordo com a UL. Assim, só serão aceites candidaturas para a UL, Portugal.

 

16. Qual deve ser a formação anterior do candidato para poder candidatar-se numa determinada área?

R: A Comissão de Avaliação irá avaliar o perfil do candidato no contexto da proposta de trabalho apresentada. Ou seja, a relevância da formação anterior dependerá da proposta apresentada.

 

17. Já estou inscrito num Doutoramento na UL, posso candidatar-me?

R: Todos os candidatos devem cumprir integralmente o presente Edital. A Comissão de Avaliação analisará os casos que cumprem o integralmente o Edital e que já estejam inscritos na UL, no inicio da formação. Caso a caso, será tomada uma decisão.

 

Última actualização: 20/07/2020.

Ler mais ...

Bolsas de Mérito 2020 - Calendário Reajustado!

Havendo necessidade de se actualizar o calendário divulgado no Edital de 18/12/2019, relativo às candidaturas a bolsas de estudo, no âmbito do Programa de Envio Anual de 300 Licenciados/Mestres Angolanos com Elevado Desempenho e Mérito Académico para as Melhores Universidades do Mundo (Decreto Presidencial nº 67/19, de 22 de Fevereiro), devido às limitações impostas pelo Estado de Emergência, por este meio, o Ministério do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação publica o calendário reajustado, conforme se apresenta abaixo:

I - Calendário do Processo de Candidatura e Selecção Reajustado

  1. Entrega das candidaturas, Online – 13 de Janeiro a 31 de Março, 2020;
  2. Publicação dos tópicos de estudo por domínios – 22 de Junho, 2020;
  3. Análise documental e validação das candidaturas – 04 de Junho, 2020;
  4. Publicação dos resultados, Online – 15 de Junho, 2020;
  5. Reclamações e respostas – 15 a 20 de Junho, 2020;
  6. Realização dos testes de conhecimento – 13 de Agosto, 2020;
  7. Publicação dos Resultados dos Testes – 27 de Agosto, 2020;
  8. Reclamações e respostas – 27 a 31 de Agosto, 2020;
  9. Realização das entrevistas centradas nas competências – 01 a 04 de Setembro de 2020;
  10. Realização da entrevista final – 01 a 04 de Setembro, 2020;
  11. Publicação do Resultado final – 10 de Setembro, 2020.

II - Locais de Realização dos Testes de Conhecimento

  1. Luanda: Universidade Agostinho Neto – Candidatos de Luanda, Bengo, Cuanza Norte, Uíge, Malange e Zaire;
  2. Cabinda: Universidade 11 de Novembro – Candidatos de Cabinda;
  3. Benguela: Universidade Katyavala Bwila – Candidatos de Benguela e Cuanza Sul;
  4. Huambo: Universidade José Eduardo dos Santos – candidatos do Huambo, Bié, Moxico e Cuando Cubango;
  5. Lubango: Universidade Mandume Ya Ndemofayo – candidatos da Huíla, Namibe e Cunene;
  6. Dundo: Universidade LuejiA´Nkonde – candidatos da Lunda Norte e da Lunda Sul;

 

Para mais informações aceda ao site: http://inagbeangola.com/

Ler mais ...

II Fórum Africano de Ciência, Tecnologia e Inovação (FACTI) e VI Sessão do Fórum Regional Africano sobre o Desenvolvimento Sustentável (FRADS)

A Comissão Económica para a África (ECA) foi criada pelo Conselho EconÓmico e Social (ECOSOC) das Nações Unidas com o objectivo de promover o desenvolvimento económico e social dos Estados Membros, adoptar a integração intra-regional e promover a cooperação para o desenvolvimento de África (https://www.uneca.org/ ).

A ECA, em colaboração com a Comissão da União Africana, o Banco Africano de Desenvolvimento e o Sistema das Nações Unidas organizaram, em Victória Falls, Zimbabwé, de 24 a 27 de Fevereiro de 2020, o II Fórum Africano de Ciência, Tecnologia e Inovação (FACTI) e a VI Sessão do Fórum Regional Africano sobre o Desenvolvimento Sustentável.

Angola fez-se representar por uma delegação composta por: Sua Excelência Ministra do Ambiente Paula Francisco Coelho; Secretário de Estado para a Ciência, Tecnologia e Inovação, Domingos da Silva Neto; Secretário de Estado para o Planeamento, Samahina de Sousa da Silva Saúde; Embaixador de Angola no Zimbabué, Agostinho Tavares; Representante das Nações Unidas em Angola Responsável do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), Paolo Balladelli; e altos funcionários dos Ministérios da Economia e Planeamento e do Ambiente.

Os encontros tiveram como objectivo “aferir como a Ciência, Tecnologia e a Inovação (CTI) podem contribuir para a implementação dos Objectivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS)” e “balancear a implementação dos ODS e projectar acções rumo à transformação e prosperidade de África.

Os debates foram realizados à volta dos cinco “clusters” dos ODS, nomeadamente “Pessoas”, “Prosperidade”, “Planeta”, “Paz” e “Parcerias” onde se agrupam os 17 objectivos, nomeadamente: 1 (Erradicação da pobreza); 2 (Fome zero); 3 (Boa saúde e bem-estar); 4 (Educação de qualidade); 5 (Igualdade de género); 6 (Água limpa e saneamento);  7 (Energia acessível e limpa); 8 (Emprego digno e crescimento económico); 9 (Indústria, inovação e infra-Estruturas); 10 (Redução das desigualdades) e 11 (Cidades e comunidades sustentáveis); 12 (Consumo e produção responsáveis); 13 (Combate às alterações climáticas); 14 (Vida debaixo da água) e 15 (Vida na Terra); 16 (Paz, justiça e instituições fortes); 17 (Parcerias em prol dos objectivos).

Os participantes reconheceram a importância da CTI para o progresso do bem-estar do Homem, para a transformação económica e para a realização dos objectivos ambientais; a necessidade de se analisar as razões porque alguns grupos estão constantemente a ser deixados para trás e de abordagens inclusivas; saudaram o lançamento da Área de Comércio Livre Continental Africana.

De uma forma geral, os participantes do Segundo Fórum Africano de Ciência, Tecnologia e Inovação e da Sexta Sessão do Fórum Regional Africano Sobre o Desenvolvimento Sustentável reconheceram a importância da ciência, da tecnologia e da inovação para o progresso do bem-estar humano, para a transformação económica e para a realização dos objectivos ambientais.

Ler mais ...
Assinar este feed RSS

Links Úteis

Links Externos

Contactos

Redes Sociais